E-commerce, bons motivos para ter um

E-commerce, bons motivos para ter um

A lâmpada na sua mente acendeu. Você acaba de ter uma ideia super interessante e  já pensa em abrir uma loja virtual. Mas você se pergunta: será que esse é o momento ideal para realizar esse tipo de empreendimento? Será que estou suficientemente preparado para entrar no mundo do e-commerce? Várias são as dúvidas que surgem nesse primeiro momento, mas o fato é que a situação nunca esteve tão favorável para investir no comércio eletrônico como agora. Pesquisas de entidades do setor revelam que:

O faturamento do e-commerce em 2014 chegou R$ 35,8 bilhões com um incremento de 24% sobre o ano anterior, quando este número se situou na casa dos R$ 28,8 bi segundo informações da consultoria e-Bit, com apoio da  Câmara Brasileira do Comércio Eletrônico.

As perspectivas para o comércio eletrônico em 2015 são animadoras. Mesmo diante de um ano difícil, com muitos problemas tanto no âmbito econômico quanto político, a expectativa dos profissionais do mercado é que voltemos a ter um ano de crescimento para o e-commerce brasileiro.

Fale comparar o crescimento nominal do faturamento do varejo online e bem maior do que o varejo tradicional que cresceu apenas 4% no mesmo período. (E-bit)

Além disso, novas tecnologias que facilitam o comércio virtual surgem com frequência e cursos de capacitação, como os de marketing digital, formam a todo momento mão de obra qualificada para levar qualquer loja virtual ao caminho do sucesso.

Mesmo para o empreendedor que não possui capital suficiente, hoje é fácil encontrar quem esteja disposto a investir em uma boa ideia e realizar parcerias nos negócios virtuais. A escolha da plataforma também é item muito importante no início do processo. Nós da aMPro4 desenvolvemos site na plataforma Magento com um design personalizado e oferecemos um suporte personalizado que auxiliam o lojista e tornam o trabalho no e-commerce muito mais prático.

O cenário é bastante propício, no entanto é preciso analisar suas expectativas e objetivos antes de embarcar nessa onda promissora. O primeiro passo é entender se você está realmente disposto a investir tempo e dinheiro no seu negócio próprio. Ter uma loja virtual exige dedicação que pode significar noites sem dormir e alguns meses de muito investimento com pouco retorno. É preciso ter paciência, pesquisar muito sobre o mercado e público-alvo, estar preparado para enfrentar vários altos e baixos. Se você está ciente de tudo isso e se sente pronto, então não tenha dúvidas de que esse é o seu momento. Invista sem medo de ousar que o sucesso não tardará a chegar.

Como criar seu e-commerce para melhorar as vendas.

Quando for criar seu e-commerce você deverá se preocupar com a apresentação do produto. Afinal o seu potencial cliente vai acessar seu site interessado nos produtos.
Aqui tem uma dica valiosa dos pontos imprescindíveis para aplicar em seu e-commerce.
Produto:: Você já pensou no poder de influência que as páginas de produto de seu e-commerce podem exercer na compra? É realmente grande. Vale lembrar que muitas pessoas ainda ficam receosas para realizar operações através da internet – e é por isso que o lojista virtual deve ter cuidado no momento de mostrar seus produtos.

Cada detalhe adicionado à página se transforma em mais segurança para o cliente que deseja efetuar a compra. É por isso que se torna muito interessante que toda loja virtual invista no fornecimento da quantidade máxima de informações aos seus consumidores já no momento de apresentação do produto.

Lembre-se que, mesmo que já esteja pensando em adquirir o produto, uma página bem elaborada e rica em dados precisos a respeito do que se oferece é fundamental para a decisão de compra.

Não importa qual seja o seu segmento, existem alguns elementos que não podem ser esquecidos nesse momento. Saiba quais são eles e capriche na elaboração de suas páginas.

Fortaleça a usabilidade:: Uma navegação simples e tranquila é fundamental para que o cliente não se perca ou abandone seu site. Invista em usabilidade sempre – não apenas nas páginas de produto.

“Limpe” sua página:: Retire itens desnecessários que possam comprometer a navegação de seus clientes!

Simplifique a busca:: Crie um campo de busca para dar mais liberdade ao seu consumidor e simplificar sua navegação.

Facilite a leitura:: Entenda as preferências de seu público-alvo e disponibilize uma fonte de qualidade, assim como um tamanho adequado para todo o site.

Customize:: Para agradar o consumidor e fazê-lo sentir único em sua loja, não pense duas vezes e invista na customização sempre que possível.

Chame atenção para o botão “Comprar”:: É o botão mais importante da página, por razões óbvias. Merece destaque – e não se esqueça da cor verde, que favorece ainda mais o impulso de compra!

Destaque ofertas e condições especiais:: Os descontos são muito importantes para despertar o interesse do consumidor. Não deixe de chamar atenção na hora de apresentá-los. Atenção: a dica também vale (e muito) para o frete grátis!

Pense bem no título:: O título de seu produto é muito importante para o alcance que ele terá na web. Priorize palavras-chave e capriche em soluções relevantes para os mecanismos de busca.

Produza imagens de qualidade:: Invista em boas resoluções, aproveite várias angulações e utilize o zoom para apresentar os mínimos detalhes do produto, aproximando-o do cliente e favorecendo sua decisão de compra.

Conte com o apoio dos vídeos:: Não é segredo que os vídeos estimulam a compra e contribuem para a decisão de compra. Utilize os vídeo para contribuir com as vendas.

Apresente selos e certificados de segurança:: Muitas vezes, a segurança no momento da compra depende disso. Aumente a credibilidade de seu e-commerce e conquiste a confiança de seu cliente, motivando-o a comprar!

Esteja online no chat:: Esta é uma ferramenta muito importante para que os clientes se comuniquem com a sua loja e esclareçam as dúvidas que persistirem. Esteja disponível e atenda a todos com o máximo de atenção e respeito – que também pode se tornar o diferencial de sua empresa em uma próxima compra.

Coloque emoção:: Frases emotivas e motivadoras fazem com que o consumidor se aproxime da loja e fique ainda mais interessado pelo produto. O único cuidado, aqui, é não exagerar e tornar as mensagens apelativas ou até mentirosas!

Conte com avaliações:: A opinião de quem já conhece o e-commerce ou já adquiriu determinado produto é muito relevante para quem ainda está pensando em comprar. Motive seus clientes a descrever suas impressões a respeito dos itens adquiridos e favoreça a pesquisa dos novos visitantes.

Sugira produtos relacionados:: Essa tática é importante para aumentar o ticket médio das operações!

Deixe que compartilhem:: As mídias sociais são aliadas importantíssimas no momento de divulgar sua empresa. Ofereça opções de compartilhamento para que seus clientes indiquem a loja para amigos – e também disponibilize um botão para essa indicação na própria página!

Agora que já descobriu como melhorar as páginas de produto de sua loja, é hora de trabalho! Boas vendas!

Fonte> e-commerce Brasil

e-commerce

E-commerce passo a passo

E-commerce é a grande vedete para empresários do mundo todo. Qual comerciante não sonha em vender 24hora por dia inclusive final de semana e feriado sem barreira da distância? Mas lamento em falar que nem tudo é flores. Se fosse tão simples todos que tem um e-commerce estariam andando de carro ‘zero’.

Para os PMEs que desejam explorar esse campo vou passar os principais pontos que envolve construir uma loja online.

O conceito de e-commerce é aplicável a qualquer tipo de negócio ou transação comercial que implique a transferência de informação através da Internet, como sites que comercializam produtos, serviços, consórcios, sites de leilões, etc.

Considerado um dos maiores fenômenos da Internet e ainda com potencial para experimentação e crescimento, o e-commerce pode focar em públicos diferentes:

  • B2B, ou Business to Business (“empresa para empresa”): são as transações de comércio entre empresas;
  • B2C, ou Business to Client (“empresa para cliente”): é o comércio entre a empresa e o consumidor. É o mais comum;
  • B2G, ou Business to Governemet: são as transações entre empresa e governo. Os exemplos comuns de B2G são licitações e compras de fornecedores;
  • C2C, ou Client to Client (“cliente para cliente”): é o comércio entre consumidores. Ele é intermediado normalmente por uma empresa (o dono do site), como os sites de leilão.

E também pode seguir modelos diferentes:

  • Clube de assinaturas: sites nos quais o público faz uma assinatura (criando um vínculo maior e mais duradouro com o site) e a cada certo período de tempo recebe um conjunto de produtos oferecidos pela página. Esse modelo costuma trabalhar com o mercado de nicho, como cervejas, produtos de beleza, chocolates etc.;
  • Venda de serviços e produtos: são os sites mais comuns e que existem em maior número na Internet, ofertando produtos e serviços aos clientes, mas que não criam um vínculo com a loja, como acontece no modelo de assinaturas;
  • Marketplace: um e-commerce bem estruturado e de grande porte, que agrega em um só site os produtos de outros e-commerces, fazendo, assim, a ponte entre o seu público e as lojas – que costumam ser de menor porte do que o marketplace;
  • Televenda: as vendas realizadas pelo telefone são englobadas no e-commerce, uma vez que a transação é realizada a distância, mediada por tecnologia.

A boa notícia é que qualquer empreendedor, tanto o Individual, a Micro, a Pequena, a Média e a Grande Empresa, podem ter um e-commerce.

A primeira coisa que você deve fazer é registrar um domínio. Para e-commerce nacional recomendo o registro ‘.com.br’ mas sempre é válido o registro ‘.com’ também. Ao escolher o domínio para a sua futura loja, considere estes três pontos:

  • Que tenha a ver com o nome da empresa;
  • Que não seja comprido demais;
  • Que seja facilmente lido e memorizado.

Para realizar o registro do seu domínio acesse registro.br o valor é de apenas R$ 30,00 com renovação anual e para efetivar o registro deverá contar com um host. Nosso servidor de hospedagem é DIVULGGARE.COM.BR você contará com suporte diferenciado e personalizado.

Apesar da facilidade – cada dia mais crescente – de montar um e-commerce, é preciso estar atento a vários detalhes e ser criterioso. Afinal, a mesma facilidade que existe para você, está ao alcance do concorrente.

São inúmeros pontos que um lojista inexperiente no mercado eletrônico precisa conhecer para evitar que sua loja caia em uma das estatísticas do e-commerce: 60% das lojas online fecham antes de completar um ano de funcionamento, afirma Arnaldo Korn, diretor presidente do portal Pagamento Já.

Fonte: e-commerbrasil

Dicas para melhorar a taxa de conversão da loja virtual

As lojas virtuais estão evoluindo, temos cada vez mais concorrentes no mercado online e os consumidores estão ficando mais exigentes. Com esse cenário os pequenos detalhes começam a fazer uma grande diferença na luta para melhorar os resultados da sua loja virtual e aumentar sua lucratividade.

Nesse sentido, após vários estudos e análises, principalmente dos maiores players do mercado norte americano, seguem uma série de dicas práticas para você aumentar a taxa de conversão da sua loja virtual e, consequentemente, o seu retorno sobre o investimento (ROI). Antes de começarmos é importante frisar que de nada adianta aplicar as dicas na prática se você não puder mensurar os resultados dessa aplicação, portanto, é indispensável ter uma ferramenta como o Google Analytics devidamente instalada e configurada para que isso seja possível. Não utilizar uma ferramenta desse tipo é o mesmo que acelerar o carro com os olhos vendados.

1. Demonstre segurança e credibilidade: o certificado de segurança (SSL) é algo básico e a definição de políticas de privacidade e troca é essencial; o uso de selos que atestem a segurança da sua loja também é bem vindo a aumentam a percepção de segurança.

2. Disponibilize outros canais para contato: ter uma loja virtual não é sinônimo de não ter mais contato com os clientes, você deve disponibilizar outros canais de contato, como um número de telefone;

3. Sempre ofereça algo em troca: sempre que pedir algo do seu cliente, ofereça algo em troca; se quiser que ele deixe seu e-mail, não peça para assinar sua newsletter, mas dê um cupom de desconto para sua próxima compra; ofereça também alguma vantagem se ele se cadastrar por completo;

4. Prepare o ambiente: criar vitrines específicas para um mix de produto e público-alvo melhora a percepção de segurança do cliente; um exemplo de sucesso é a Netshoes que tem segmentações para torcedores de times de futebol, corredores, atletas, entre outros;

5. Aposte em banners bem produzidos: a tendência é diminuir a barra superior da loja e apostar em banners ocupando um maior espaço e mais bem produzidos; não economize na sua comunicação, pois em sua loja virtual os clientes compram imagem e não produto; um exemplo dessa tendência é a página inicial da loja www.victoriassecret.com;

6. O email é muito valioso: além de ter como meta fazer o cliente realizar uma compra, conseguir seu email é muito valioso para envio de campanhas e estratégias de remarketing posteriores;

7. Use boas ferramentas de email marketing: faça email marketing com frequência e use boas ferramentas para o disparo e monitoramento onde consegue informações concretas de taxa de abertura, cliques, rejeição, entre outras informações que serão úteis para direcionar suas próximas campanhas;

8. Reenvie suas campanhas reescrevendo o assunto: poucos aplicam essa estratégia, mas tendo uma boa ferramenta de envio você pode fazer o reenvio da sua campanha entre 24 a 48 horas após o primeiro envio, somente para quem não abriu o email, reescrevendo o assunto; a pessoa que recebeu e não abriu vai entender como uma nova campanha já que o assunto estará ligeiramente modificado e você deverá ter as mesmas taxas de abertura do primeiro envio, dobrando seus resultados;

9. Produza um newsletter da forma correta: lembre-se que os programas de leitura de email bloqueiam as imagens, portanto, pense nisso antes de produzir sua newsletter; coloque informações importantes como texto e legenda nas imagens e, se quiser bons exemplos, cadastre-se na Amazon.com;

10. Faça teste multivariável em suas campanhas: faça criações diferentes para uma mesma campanha, envie proporcionalmente para sua base e veja onde tem os melhores resultados para aprimorar suas próximas campanhas;

11. Priorize as páginas com alta taxa de rejeição: monitore sua taxa de rejeição média e analise as páginas que estejam muito acima, pode ter certeza que tem algo errado nelas e você poderá reduzir essa taxa melhorando usabilidade e conteúdo;

12. Valorize seu produto: as fotos e a descrição dos produtos são os itens mais importantes na sua loja, pois é o que o cliente irá comprar, portanto, não economize na qualidade dessas informações; uma dica importante é você escolher alguns produtos principais e dar uma atenção maior, inclusive produzindo alguns vídeos;

13. Deixe os clientes avaliarem seus produtos: as avaliações dos produtos ajudam outros clientes na tomada de decisão e as avaliações negativas são tão importantes quanto às positivas; modere somente avaliações que não tenham informações relevantes para os clientes;

14. Use e abuse da recomendação: o canal digital permite utilizar alguns artifícios inteligentes que são difíceis no mundo físico, a recomendação de produtos direcionada pelo comportamento dos usuários é uma forma inteligente de aumentar o tíquete médio e a satisfação do cliente;

15. Seja claro e objetivo no carrinho: monitore as taxas de abandono em seu carrinho de compras e procure formas de melhorar a usabilidade e o conteúdo para minimizá-la; preocupe-se com a barra de rolagem para que alguns objetos, principalmente botões de call to action, sempre estejam visíveis;

16. Use as cores certas: botões de call to action, como “comprar” devem usar cores como laranja ou verde limão, que não podem ser usadas para outros elementos para não dispersar a atenção; uma loja que trabalha muito bem esse conceito é a Polishop.com.br;

17. Ajude seu cliente a encontrar o produto: encontre formas intuitivas e menos técnicas de navegação para facilitar os clientes a encontrarem o que procuram; criar uma forma de navegação “para presente” ou “por perfil” pode ser altamente efetiva, como a referência do menu de navegação da lojaonlinenokia.com.br;

18. Desempenho é resultado: sua plataforma deve ter uma alta performance e o conteúdo deve ser muito bem preparado para não interferir no tempo de carregamento das páginas; deve se ter uma preocupação especial com os banners e fotos e uma dica legal para diminuir o tamanho das fotos é usar o www.smushit.com; a Amazon.com aumenta em 1% seu faturamento a cada 100 milissegundos que reduz no tempo de carregamento das suas páginas;

19. A busca é o seu vendedor virtual: sua loja tem que ter uma ótima ferramenta de busca que entregue resultados relevantes com inteligência e ajude o cliente a encontrar o que está procurando, além de oferecer funcionalidades como “Você quis dizer?”; segundo Nielsen 43% dos usuários desiste após a 1ª tentativa de busca;

20. Monitore suas buscas: monitorando as palavras buscadas você pode incrementar seu mix de produtos de acordo com a procura e até apresentar resultados mais direcionados para as palavras mais buscadas através da criação de páginas especiais para isso;

21. Faça teste A/B: você deve testar desde as imagens utilizadas em seus banners, até as cores e os títulos dos botões; todos os detalhes são passíveis de um teste A/B, mas você deve realizá-los de forma estruturada para conseguir apurar os resultados com exatidão;

22. Segmente seus clientes: quanto maior for sua segmentação e melhor for sua comunicação direcionada para cada perfil, melhores serão seus resultados; encontre os perfis de cliente que tem as melhores taxas de conversão e invista mais neles;

23. Recupere suas vendas: um boleto não pago ou uma negativa de cartão/fraude não é lixo; se o cliente já chegou até esse ponto tente fazer algo para reverter a situação; existem ferramentas automáticas ou estratégias manuais para você tentar reverter esses pedidos em vendas;

24. Crie uma reputação: atenda bem e sempre seja o mais transparente possível; monitore as redes sociais, blogs e sites de reclamação, pois pior que um cliente insatisfeito é um cliente sem resposta;

25. Faça remarketing: você já teve um alto custo para impactar o visitante e não deve deixar de aproveitar as ferramentas de remarketing disponíveis para impactá-lo novamente a um custo menor e com uma maior efetividade;

Buscar a excelência no comércio eletrônico é um trabalho duro, mas, que deve ser o objetivo de todos os varejistas online. Algumas lojas nos EUA possuem taxas de conversão altíssimas que ultrapassam os 20%, como Woman Within com 25,3% e Blair.com com 20,4%. Aplicar essas dicas não é um trabalho fácil e você precisa direcionar sua estratégia para absorver essa responsabilidade de forma planejada, pois não adianta querer fazer tudo de uma vez.

Fonte: E-commerce Brasil

BACK TO TOP