Marketing Digital para Hotéis: Quais são os custos e onde você deve investir seus esforços
Marketing Digital para Hotéis

Marketing Digital para Hotéis: Quais são os custos e onde você deve investir seus esforços

As principais redes de hotéis e pousadas estão investindo cada vez mais no Marketing digital para Hotéis e se esforçando para competir com o que o Morgan Stanley chama de “frenemies” – as agências de viagens online (ou OTAs).

Embora as agências de viagens online (OTA’s) sejam grandes parceiras da hotelaria, as comissões das OTA’s têm aumentado e a margem de lucro dos hotéis reduzido. Esse cenário cria uma concorrência acirrada onde a comparação por preços está a um clique de distância.

Por esse motivo foi necessário agir para fortalecer os canais de reservas diretas dos hotéis e pousadas, além das negociações com OTAs para reduzir as comissões sobre as reservas. 

Os grandes hotéis puderam investir além em seu marketing digital e incluíram táticas de marketing digital generalizadas como a campanha “Stop Clicking Around” do Hotel Hilton.

Esses hotéis oferecem descontos para seus associados, além de bônus adicionais quando os clientes reservam diretamente. E mais importante ainda, essas redes investiram na infraestrutura necessária para competir com os avançados dos sites das OTAs e na otimização de mecanismos de busca.

O que os pequenos hotéis podem fazer?

Hotéis menores e independentes, com recursos limitados, também podem melhorar significativamente a sua rentabilidade, aumentando também as reservas diretas para seus hotéis. 

Cada reserva direta economiza a comissão paga às OTAs e cria um relacionamento direto entre o cliente e o hotel. 

Com uma concorrência acirrada, a necessidade de um plano de marketing eficaz que facilite as reservas diretas é clara.

Atualmente, mais de 90% das reservas de hotéis envolvem a entrada online. Os hóspedes, antes de fecharem suas reservas, fazem uma pesquisa de hotéis e preços, localização, avaliações de outros hóspedes, entre outros.

Por esse motivo é importante que três quartos do orçamento de marketing de um hotel sejam destinados ao marketing digital, canais e estratégias

Vale lembrar que o orçamento de marketing recomendado para um hotel é de 4% a 6% do total da receita anual. Esse é o valor mínimo que os hotéis precisam garantir para investir efetivamente em sua marca.

Listamos um orçamento em porcentagem a serem investidos em ferramentas de marketing de hotéis.

Design de site responsivo estende seu alcance

Com as OTAs e redes de hoteleiras para competir, é crucial que os hotéis menores tenham sites avançados e de fácil navegação.

Como quase todos os viajantes entram online para concluir o processo de reserva, somente 52% dos visitantes das OTAs entram no site do hotel antes de efetuarem a reserva e, apenas 20% das reservas diretas de um hotel são originadas de OTAs. 

Como nunca há uma segunda chance de causar uma boa primeira impressão, o design e as mensagens do site do hotel devem apresentar e representar bem o hotel, em termos de aparência, navegação simples, conteúdo rico em informções e facilidade de reserva e pagamento. 

O design deve incluir imagens com boa qualidade que retratam de forma atraente o seu hotel e detalhes sobre comodidades e uma lista de atrações próximas. 

Ao converter os visitantes antes de partirem ou voltarem para as OTAs, os hotéis independentes podem aumentar suas reservas diretas e seus lucros.

Otimização de sites

É recomendado investir 25% do orçamento de marketing digital do hotel em otimização de sites e redes sociais. Destes, 9% devem ser destinados ao sistema de gerenciamento de conteúdo e 8% investimentos em consultoria de otimização de sites.

Hospedagem, análise e otimização de mídia social devem representar 4% do orçamento total e investimentos em tecnologias de sites, como reservas inteligentes e “o que há por perto”, um acréscimo de 4%. Ao otimizar consistentemente seus sites, os hotéis garantem que estão oferecendo as mesmas capacidades de ponta dos principais sites de cadeias de hotéis e OTA.

A eMarketer projeta que em 2019 aproximadamente 70% dos viajantes digitais reservarão hotéis por meio de um dispositivo móvel, o que representa um aumento de 43,8% em relação a 2015.

Considerando isso, os sites de hotéis precisam ser responsivos, atendendo aos visitantes de desktop, celular e tablet. 

A reserva deve ser descomplicada, com o menor número de etapas possível, e os pagamentos devem ser online com uma ampla variedade de opções, incluindo cartão de crédito, boleto, depósitos, entre outros.

Campanhas de marketing digital devem representar a maior parte do seu orçamento

59% do orçamento de marketing digital de um hotel devem ser destinados para as campanhas de marketing digital de resposta direta. Veja as seguintes formas:

  • O Search Engine Marketing (SEM) inclui pesquisa paga em mecanismos de pesquisa, bem como anúncios do Google e do YouTube.  19% do orçamento deve ser aplicados às atividades de SEM
  • Search Engine Optimization (SEO) deve receber 6% do orçamento. Com a corrida a aparecer nos primeiros resultados dos mecanismos de busca, é importante investir em conteúdo atualizado e exclusivo, regularmente.
  • A Rede de Display do Google (GDN) é um mecanismo de publicidade passiva, exibindo anúncios específicos de conteúdo, para clientes em potencial em milhões de websites da rede do Google. Esta estratégia de publicidade atinge mais de 90% das pessoas online. 8% do orçamento de marketing devem ser investidos neste canal.
  • O Smart Data Marketing inclui análise de CRM de clientes e públicos-alvo, bem como marketing de taxa dinâmica. Os clientes em potencial são totalmente avaliados sobre as diferentes tarifas de quartos, com base na data e nos tipos de quarto. Esses esforços de marketing devem representar 13% do orçamento de marketing.
  • O e-mail marketing e CRM devem representar 3% do orçamento.
  • O marketing de meta-pesquisa, que fornece dados em tempo real sobre preços e disponibilidade, deve representar 2% do orçamento.
  • Os aprimoramentos na conversão de websites, que incluem várias estratégias para converter um visitante do website em um cliente, devem receber pelo menos 8% do orçamento de marketing. 

Esses esforços incluem uma melhor atenção no carrinho de compras no que se refere ao abandono de reservas. Disparos de e-mails automáticos quando um visitante não conclui uma reserva, ou um pop up incentivando o retorno do visitante, entre outros. 

Outros aprimoramentos incluem conteúdo personalizado, bem como programas de recompensa instantânea e tarifas inteligentes.

Embora o item acima apresente a divisão recomendada de uma campanha de marketing digital, é necessário um monitoramento consistente para garantir que esses esforços criem o resultado desejado. 

A vantagem do marketing digital é sua flexibilidade, que permite mudanças orçamentárias simples que podem ser analisadas para otimização contínua.

Abaixo está um resumo dos componentes do orçamento de marketing digital.

Aumente os resultados de marketing segmentando seus clientes

Como em qualquer negócio, é importante saber quem é seu público-alvo. Use suas ferramentas de CRM para definir as características do seu cliente e criar seu perfil. 

Os seus clientes são executivos de negócios? Casais em uma escapadela romântica? Famílias? Quais são os seus interesses durante as estadias? Construa seus perfis financeiros também, a fim de ajustar os preços de acordo. 

Ajuste suas comodidades e serviços para atender às suas necessidades específicas e crie ofertas e ofertas especiais para seu público-alvo.

Uma reserva de 16% do orçamento de marketing digital deve ser destinada para campanhas de marketing sazonais e direcionada. 

Use a análise disponível para localizar onde seu público-alvo pode ser encontrado. Onde suas pesquisas e cliques se originam? Eles estão respondendo aos anúncios do Facebook? Instagram? Eles se conectam aos seus sites em sites OTA ou em fóruns de revisão como o TripAdvisor? 

Depois de localizar seu público, lembre-se de expandir para outros canais, aumentando assim seu alcance e, em última análise, sua base de clientes e reservas.

Lembre-se de responder a todos os comentários de clientes anteriores nos sites de comentários, seja para agradecer a um convidado ou responder a uma reclamação, pois esses são os principais locais que seu público provavelmente visitará. Muitos viajantes geralmente verificaram o TripAdvisor antes de concluir uma reserva.

Para resumir tudo, preste atenção às tendências do setor , certifique-se de definir seu mercado-alvo e analise sua base de clientes para atualizar suas estratégias de marketing. Concentre a maioria de seus esforços de marketing em marketing digital, certificando-se de oferecer um site responsivo e fácil de navegar, bem como estratégias de marketing adicionais para transformar os visitantes em reservas diretas.

reserva direta

Como melhorar minha receita pela reserva direta?

Reserva Direta vem ganhando força no mercado hoteleiro

Nos últimos anos, a reserva direta vem ganhando força e travando uma batalha contra Agências de Viagens Online. Mas para conquistar esse hóspede e atrair muitos outros para o seu site direto é preciso entender bem sobre esse assunto.

Entenda o que é a reserva direta

Com o grande avanço da internet e dos meios digitais, a forma de consumo dos viajantes também mudou.

Estudos mostram que antes de fechar uma reserva, o usuário pesquisa e compara os preços em pelo menos 3 sites diferentes. Por esse motivo é importante que seu site esteja sempre apresentável e tenha um ótimo atendimento via chat.

Isso porque é importante manter o viajante mais tempo em sua página para que ele faça a reserva de sua hospedagem diretamente no site do hotel.

Isso nada mais é do que a Reserva direta! Atrair o hóspede para dentro do site do hotel e fazer com que ele efetue a compra de sua estadia diretamente no seu motor de reserva. Ele também pode fazer esse processo por telefone ou e-mail, mas o objetivo principal é que o seu cliente faça todo o processo através do site do hotel.

Com poucos cliques, o consumidor tem acesso a todas as informações de seu hotel. Geralmente eles pesquisam sobre as acomodações, lazer, refeições e o diferencial de cada hotel antes mesmo de fechar uma reserva. Ele lê as avaliações, compara os preços, pega dicas em blogs de viagens, e só então tomar uma decisão. Hoje, ele não quer apenas o melhor preço. Ele quer aquela que irá oferecer a melhor experiência de compra do início ao fim.

Este novo perfil de consumidor 3.0, vem mudando o rumo do mercado de vendas das reservas online. A quantidade de informações disponíveis na rede e a prática de pesquisar antes de tomar qualquer decisão é a chance que os meios de hospedagem têm para atrair o hóspede para seu site e tirar o foco das OTAs.

Ganhar a reserva direta é o mesmo que gerar maior rentabilidade ao hotel, pois não necessita pagar as porcentagens cobradas pelas OTAs.

Como conquistar mais reservas diretas

Para conquistar mais reservas diretas para seu hotel é preciso tomar algumas medidas e se destacar em meio a uma multidão de concorrentes. Os canais de venda, meta-buscadores e demais sites de viagens estão espalhados pela internet.

Por isso é importante que você tenha todas as ferramentas a sua disposição para vencer essa concorrência.

Ferramentas necessárias nos meios digitais

Tenha um site apresentável na internet

O seu hotel precisa aparecer na internet com um belo cartão de visita. Um site atraente e de fácil navegação é o mínimo que seu hotel precisa oferecer. Pois esse será o primeiro contato do hóspede com seu estabelecimento.

Preocupe-se com as informações relevantes sobre o hotel, como dados para contato, localização, serviços oferecidos, descrição dos quartos e formas de pagamento. É indispensável que tenha fotos de todos os serviços e da pousada, assim os clientes conseguem saber exatamente o que estão contratando, evitando qualquer tipo de surpresas.

Um botão de call to action estrategicamente visível também é imprescindível em seu site. Ao clicar neste botão, o cliente é encaminhado para um formulário de reserva direta.

É importante também que o site seja responsivo. Ou Seja, o usuário consegue navegar em seu site num computador, notebook, tablete e até mesmo no celular. As páginas se ajustam automaticamente em qualquer tamanho de tela.

As pessoas estão mais móveis do que nunca, e diversos estudos comprovam um forte crescimento do número de reservas realizadas através de dispositivos móveis.

E nesse caso, o site do seu hotel precisa estar preparado para oferecer também, uma boa experiência móbile a ele. Caso contrário, você perde o cliente e a reserva também.

Tenha um motor de reservas online

O motor de reservas é software instalado ao site do hotel, possibilitando que os hóspedes efetuem a reserva online diretamente com você.

O mais indicado é que você procure motor de reservas que:

  • Tenha integração com seu Sistema Hoteleiro;
  • Tenha integração com seu Channel Manager (Gerenciador de Canais);
  • Seja livre de comissões ou que tenha comissões baixíssimas;
  • E que interaja com o sistema de Marketing;

A grande vantagem é que o dinheiro entra limpinho, livre de comissões ou comissão baixíssima, e o seu lucro é bem maior.

Crie um formulário de pré-reserva

O formulário de pré-reserva é uma grande e ótima ferramenta se, neste momento, investir num motor de reservas seja um pouco alto para o seu estabelecimento. Esse formulário é semelhante ao motor de reservas e pode ou não ser integrado ao seu sistema hoteleiro. A diferença é que, por não possuir a opção de pagamento, o cliente não efetiva a compra da reserva na hora. E para efetuar a reserva, você só precisa entrar em contato com o hóspede, combinar a melhor forma de pagamento e efetivar o pagamento.

concorrência

A concorrência no mercado hoteleiro

Concorrência acirrada está a um clique de distância.

Num mercado onde todos lutam por alcançar o sucesso, é difícil pensar nos hotéis e nas OTAs como qualquer outra coisa que não seja como concorrência.

Na década de 1990, os consumidores estavam cada vez mais conectados. Então a rede hoteleira percebeu a necessidade de criar os seus próprios sites. Com isso, eles começaram a receber os benefícios das reservas diretas e as agências de viagens tradicionais viram diminuir a sua importância e utilidade. E foi então que surgiu a era das OTAs.

Com o avanço da tecnologia, as OTA’s – Online Travel Agencies (portais online) cresceram e ganharam forças e, os hotéis que antes só se preocupavam em receber hóspedes tiveram que se adaptar necessidade do mercado.

Com menos custos operacionais devido à redução das despesas devido à falta da necessidade de um espaço físico, as grandes OTAs foram criando o seu espaço no mercado, maximizando os lucros e minimizando os custos.

Agora, as agências de viagens online são capazes de assumir um número infinito de hotéis no seu portfólio com despesas muito reduzidas. Além de concentrarem ricas informações dos mais variados destinos e revendem diárias/pacotes em troca de comissões cobradas aos estabelecimentos de hospedagem.

Embora as agências de viagens online (OTA’s) sejam grandes parceiras da hotelaria, as comissões das OTA’s têm aumentado e a margem de lucro dos hotéis reduzido. Esse cenário cria uma concorrência acirrada onde a comparação por preços está a um clique de distância.

Se neste momento os hotéis independentes estão a trabalhar uns contra os outros, será mais difícil encontrar uma forma de unir forças, de recuperar o poder perdido e de dar a volta a este mercado dominado pelas grandes OTAs. Então, qual a solução? Como podem os pequenos hotéis fazer face a um sistema que parece não valorizar o que eles oferecem?

Poe esse motivo é necessário agir para fortalecer os canais de reservas diretas dos hotéis e evitar a dependência de um único canal.

Reservas Diretas

As reservas diretas significam uma boa margem de lucro. Não que as intermediadas não sejam boas, mas elas apenas significam receita. O hotel precisa de receita, mas aquele que consegue ter uma boa participação de vendas diretas consegue melhorar o seu produto e serviço; se torna mais competitivo e aumenta a sua lucratividade.

Mas como melhorar minha receita pela reserva direta?

Marketing hoteleiro

Marketing Hoteleiro: A Hotelaria Atualmente

Marketing Hoteleiro está na internet

O futuro no Marketing Hoteleiro sem dúvida está na internet. E atualmente é possível afirmar isso porque você provavelmente já pesquisou na internet empresas e produtos antes de realizar uma compra. Ou até mesmo já aproveitou a comodidade para fazer a compra ali mesmo pelo computador, não é mesmo?

E quando o assunto é viajar e onde se hospedar, a internet tem participação importante na decisão das pessoas. Esse é o comportamento de 81% das pessoas, que segundo a pesquisa do OpinionBox, começam a planejar suas viagens de lazer por meio de buscas online. Portanto, não seria exagero dizer que o futuro do marketing hoteleiro está na internet.

Assim como o novo perfil dos consumidores 3.0, os seus potenciais hóspedes possuem um perfil diferenciado dos anteriores. São conectados, bem-informados, prezam pelo conforto em suas experiências de compra e querem encontrar informações com rapidez e objetividade.

Eles sonham e decidem o próximo destino enquanto navegam na internet. Verificam as redes sociais e pedem referencias em chats com amigos.

Logo, fazer com que eles desejem ficar no seu hotel e não do concorrente dependerá de uma série de ações de marketing hoteleiro bem planejadas. E o marketing hoteleiro é uma poderosa ferramenta que tem a possibilidade de trazer sucesso ou destruir um negócio, ou até um destino turístico todo.

Dificuldade no ramo Hoteleiro

Mas, apesar das buscas e reservas online crescerem cada vez mais, os hotéis, resorts e pousadas, ainda encontram dificuldades em diversos pontos, principalmente nas seguintes situações:

1 – Recebem poucos contatos pelo site e redes sociais e, possuem baixa taxa de conversão de visitantes para hóspedes;

2 – Tem uma taxa de ocupação relativamente boa, mas o faz excessivamente através de portais/OTAS e o pagamento de altas comissões tem se tornado uma ameaça a lucratividade do negócio;

3 – Querem alcançar novos perfis de hóspedes, valorizar mais seu produto ou se tornarem referência para um determinado destino ou nicho de público.

Com a velocidade e o alcance da internet tão rápida e grande nos últimos anos, os profissionais de marketing precisam continuamente inovar e criar novas estratégias de marketing online. Isso para que as pessoas conheçam suas estruturas e em algum momento sintam a necessidade de reserva-las. Por isso, contratar um profissional na área é de extrema importância para que você tenha uma boa estratégia no marketing hoteleiro e total sucesso em seu negócio.

Não esqueça que a primeira impressão é a que fica! Por isso, não abra mão da qualidade da comunicação e principalmente de m profissional qualificado para traças as estratégias de marketing hoteleiro. O design, a escrita e a criatividade irão formar a primeira percepção do usuário sobre o seu hotel e isso contará para ele dar o próximo passo.

 

E-Consulting

Mercado de turismo online deve faturar R$ 19,6 bilhões em 2018, aponta E-Consulting

Fonte:  Redação E-Commerce News – 

Segundo dados da E-Consulting, consultoria que mede previsões financeiras para o comércio eletrônico há 14 anos, o mercado de turismo online no Brasil deverá atingir R$ 19,6 bilhões em 2018, uma alta de 14% desde 2016. No último ano, os negócios de turismo na web movimentaram R$ 17,2 bilhões.

A alta na projeção de vendas de viagem por internet se dá por conta da possível retomada do poder aquisitivo das classes C e D, do crescimento do volume de viagens de negócios, como também de programas de estímulo ao turismo interno realizados pelo Governo Federal. Outro fator é o brasileiro considerar cada vez mais as plataformas digitais como uma experiência cômoda e segura em compras de passagens aéreas, reservas de hotéis, pacotes turísticos e outros serviços relacionados à uma agência online de turismo.

Segundo a pesquisa da E-Consulting, 84% dos brasileiros têm a expectativa de realizarem pagamentos por meios online em 2018. “Dentre as principais razões do consumidor usar as plataformas eletrônicas estão aspectos como comodidade (55%), confiança (46%), segurança (44%) e agilidade (26%) na hora do pagamento”, explica Daniel Domeneghetti, CEO da E-Consulting.

Atualmente, o setor de turismo contempla 25,3% da fatia total do Índice do Varejo Online, que ainda mensura os setores de bens de consumo e automobilístico. O índice é calculado pela E-Consulting e inclui em seu montante o e-commerce B2C (Business to Consumer) nos formatos tradicional, mobile commerce, social commerce e compras coletivas, bem como o nicho de C2C (Consumer to Consumer).

BACK TO TOP