Consumidores 3.0: Conheça suas características

Consumidores 3.0: Conheça suas principais características

Consumidores 3.0 – chamados assim pelos especialistas por terem um perfil diferenciado dos anteriores. São conectados, bem-informados e prezam pelo conforto em suas experiências de compra.

Diferentes daqueles espectadores que não tinham outra opção a não ser ouvir passivamente ao que o rádio, a televisão e os vendedores das lojas lhes diziam, os consumidores 3.0 não saem de casa sem saber todos os detalhes sobre o produto que deseja comprar.

Pesquisam na internet para comparar preços e consultar outras pessoas por meio das redes sociais.

Com isso, o cliente é conduzido para um estágio avançado na sua jornada de compra e quando chega a uma loja, já sabe a marca, o modelo do produto que deseja, suas principais características e com uma boa noção de preço.

Os consumidores 3.0 também são mais interativos, comunicativos, reivindicativos e opinativos, buscando maior comunicação com a empresa.

Atualmente, os consumidores 3.0 exigem que sejam bem atendidos, com eficiência e agilidade. Aliás, esse cliente até está disposto a pagar mais por serviços que contemplem essas características.

O novo marketing para os consumidores 3.0

No marketing 3.0, os consumidores são vistos mais do que como pessoas que compram, mas, sim, como seres humanos plenos. Por isso, as marcas precisam alcançar o espírito de seus clientes.

Eles querem saber de que maneira sua empresa pode ajudá-los a fazer do mundo um lugar mais justo e mais limpo.

Os consumidores 3.0 buscam uma relação de compartilhamento de valores e anseiam por uma sociedade melhor. Buscam empresas que tenham em seus valores e em sua missão, as necessidades de justiça social, econômica e ambiental.

Pesquisas revelam o perfil dos consumidores 3.0

Uma pesquisa divulgada pela HsM Management  mostra qual o perfil do consumidor 3.0 brasileiro:

  • 73% utilizam sites que comparam os preços dos produtos antes de irem às lojas,
  • 55% dos usuários ainda tem insegurança em realizar transações bancárias na internet,
  • os produtos mais adquiridos são livros, eletroeletrônicos, cds/dvds, produtos de informática e downloads de músicas.

Segundo estudo realizado pela Gartner, em apenas alguns anos, 89% das empresas irão competir principalmente no âmbito da experiência do consumidor.

Dispositivos IoT (Internet das Coisas)permitem o mapeamento do consumidor

As tecnologias voltadas para o setor já permitem que comerciantes disponham da prática de web-analytics em estabelecimentos físicos.

Os milhões de dispositivos IoT em posse dos consumidores permitem ao varejo físico um mapeamento de perfil mais preciso.

Por meio de uma rede WiFi ativa, é possível ler o número de identificação (MAC Address) dos smartphones de cada pessoa que entra na loja, que passa a ser vista como um único visitante, independentemente de quantas vezes retornar ao local.

Com isso, é realizado um filtro de quem deve ser contabilizado ou não, descontando funcionários e entradas duplicadas.

Além disso, esse tipo de identificação permite que o lojista aprimore seu relacionamento com o cliente, uma vez que ele terá acesso a indicadores como a taxa de permanência, frequência, que o permitem aperfeiçoar o atendimento.

Para o varejista, essas informações são vitais. Para conseguir atender a essa nova geração de consumidores 3.0, os lojistas precisam se colocar na posição de comprador e entender sua realidade, pois eles dispõem de várias opções e uma infinidade de informações na palma da mão.

Uma vez que o comerciante tem esses dados, ele pode personalizar o atendimento ao cliente com interações por meio de um smartphone, ou outro dispositivo móvel e posicionar-se como um expert no produto ou serviço oferecido.

As pessoas sentem-se mais confortáveis ao comprar de um especialista, que entenda não apenas da marca vendida, mas de todo o funcionamento daquele tipo de produto.

Leve isso em conta e crie uma estratégia capaz de concretizar uma experiência de compra agradável e satisfatória.